MOVES – Migração e Modernidade: Desafios Históricos e Culturais

0
35

No decurso dos últimos anos o acervo bibliográfico dedicado às migrações em Portugal tem sido profusamente enriquecido com o lançamento de um conjunto diversificado de documentos que ampliam o estudo e conhecimento sobre este fenómeno.

Neste conjunto de trabalhos, onde se cruzam os olhares interdisciplinares das ciências sociais, encontram-se livros, capítulos de livros, artigos em revistas científicas, artigos em atas de congressos, conferências e outros tipos de encontros científicos, relatórios, assim como dissertações de licenciatura, mestrado e doutoramento.

No âmbito dos cursos de 3.º ciclo (doutoramento) que se têm debruçado sobre esta importante temática, destaca-se desde 2019 o Programa Doutoral MOVES – Migração e Modernidade: Desafios Históricos e Culturais. Um projeto conjunto da Universidade do Porto e de mais quatro universidades europeias (Universidade Carolina de Praga, Universidade Paul Valéry de Montpellier, Universidade Livre de Berlim e Universidade de Kent).

Dotado pela Comissão Europeia com um financiamento de 3,9 milhões de euros, o programa MOVES propõe-se a promover uma análise histórica dos movimentos populacionais do passado para contextualizar a atual crise de migração, através da realização de estudos comparativos. O objetivo principal é envolver especialistas das Humanidades e das Ciências Sociais  na definição e disseminação de soluções inovadoras que apoiem a resposta dada pelos países nas questões prementes relacionadas com a gestão da migração.

Uma das particularidades do projeto é que para além das cinco universidades envolvidas, o MOVES conta com 18 parceiros não-académicos, incluindo organizações não-governamentais, associações de solidariedade e indústrias criativas. Como é o caso, do Museu das Migrações e das Comunidades, sediado em Fafe, um espaço museológico percursor no seu género em Portugal, que assenta a sua missão no estudo, preservação e comunicação das expressões materiais e simbólicas da emigração portuguesa.

Na esteira, do acordo firmado entre o Museu das Migrações e das Comunidades, e o programa MOVES, a cidade minhota foi palco no início deste mês da apresentação de dois trabalhos académicos sob a coordenação de Rui Carvalho Homem (do Departamento de Estudos Anglo-Americanos da FLUP), e que estiveram a cargo da doutoranda Naiara Rodriguez-Pena (Universidade de Kent e Universidade Paul Valéry de Montpellier), que investiga “A influência de ideias e memórias do passado nas aspirações migratórias”. E da doutoranda Viktoryia Vaitovich (Universidade Paul Valéry de Montpellier / Universidade do Porto) que aborda as distintas vagas da emigração portuguesa, perspetivadas a partir da «teoria do sistema-mundo» de Immanuel Wallerstein, sob o título “De emigrantes para imigrantes: mudança na emigração em Portugal como consequência das relações centro-periferia”.

Num mundo cada vez mais globalizado, em que as novas realidades geopolíticas, tecnológicas e humanitárias colocam vários desafios às sociedades e consequentemente às instituições, este exemplo de estreita cooperação do estudo académico com a sociedade civil, mostra como é possível colocar o conhecimento ao serviço das populações. E desenvolver, em conjunto, competências específicas na área do conhecimento sobre as migrações a quem pretende seguir uma carreira académica, ao nível do ensino ou da investigação.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here