Natal Universal

O nascimento de Jesus celebra-se em todos os recantos do mundo

0
80

Silvia C Di Frisco
sdifrisco@correiodevenezuela.com

A festa de Natal é uma das mais importantes do cristianismo.O nascimento de Jesus é comemorado, todos os anos, em quase todos os recantos do mundo. Com o passar do tempo, as relações entre gerações e as diferenças culturais foram criando um leque infinito de tradições e costumes em torno da celebração.

Jantar em família, prendas aos entes queridos e dedicar mais tempo àqueles com quem não se está frequentemente são actividades que estão na agenda de todos nas vésperas de Natal.

O que não pode faltar

O nascimento de Jesus foi representado inúmeras vezes em quase todo o tipo de materiais ou superfícies. Segundo reza a história, o primeiro presépio foi exposto durante a noite de Natal de 1223, feito por São Francisco de Assis, numa cova em Itália. Nos presépios populares da Península Ibérica, na Europa, inclui-se uma figura típica, muito antiga, chamada ‘caganer’, que representa um agricultor no acto da defecação, e que faz referência a cultos agrários relacionados com a fertilidade do campo.
A árvore de Natal é, provavelmente, a figura mais versátil da celebração. Actualmente comercializam-se de todo o tipo e são decoradas com um sem fim de acessórios. Acredita-se que a sua origem surge da sacralização dos elementos naturais, costume dos povos druidas da Europa central que actualmente se situam no Reino Unido. A árvore do Universo, em cuja copa e raiz se encontravam o céu e o inferno, respectivamente, era adornada pelos druidas em datas próximas do Natal cristão, como parte da sua adoração ao deus sol e à fertilidade.

A ceia de Natal consiste num banquete ou festim, que, geralmente se realiza à meia-noite, em família ou entre amigos, honrando o nascimento de Cristo, que teve lugar a essa hora. Este íntimo momento de espera, carregado de simbolismo e reflexão, é similar à celebração judia do ‘Pésaj’. Come-se paio, bacalhau, porco, cordeiro e outros pratos, dependendo do lugar em que se celebre ou as tradições da família.

Prendas, doces e carvão

Os costumes de Natal mais tradicionais dizem que as prendas recebidas pelas crianças em Dezembro são trazidas pelo Menino Jesus ou pelo Pai Natal. No entanto, diversas culturas atribuem a entrega de presentes a outros personagens mais pitorescos e menos conhecidos, como os Reis Magos e o Espírito de Natal.

Uma lenda russa conta a história de uma idosa de grande coração que deu asilo, em sua casa, aos três Reis Magos durante o seu percurso rumo a Belém. Babushka, como é conhecida, foi convidada a acompanhá-los mas decidiu limpar primeiro os brinquedos do filho, que tinha guardado, para oferecer ao Menino Jesus. Tardou uns quantos dias, mas finalmente empreendeu viagem. Quando chegou à gruta, não encontrou ninguém, pois já todos tinham ido embora. Babushka não se deu por vencida e, ano após ano, procura o messias, casa a casa. Se encontra uma criança que tenha sido boa, deixa-lhe prendas antes de partir, já que sabe muito bem que toda a criança é sempre uma esperança para a Humanidade e uma prenda de Deus.

História semelhante é a de Befana, figura típica do folclore natalício em Itália, descrita como uma idosa sorridente que voa numa vassoura. Tal como na história de Babushka, os Reis Magos pedem-lhe que os acompanhe a Belém, mas Befana não quis ir. Posteriormente, arrependeu-se e decidiu sair e procurar os Reis carregada com uma cesta de prendas, doces e carvão. Befana pára em todas as casas que consegue pelo caminho, com a esperança de encontrar o Menino Jesus. Desde então, deixa caramelos e brinquedos nas meias das crianças que foram boas, e nas que não se portaram bem, uns quantos bocados de carvão.

Durante o Natal basco, esperam-se os obséquios de Olentzero. Este personagem, representado como um homem gordo, esfarrapado, sujo, que come bem e é ‘borracheiro’, vive isolado da sociedade e dedica-se a fazer carvão vegetal no bosque. Todos os invernos, desce das montanhas às povoações para vender o seu carvão, e ainda que se acredite que não gostam muito de crianças, aqueles que foram bons recebem presentes seus, na manhã de Natal.

Em alguns países, exige-se aos mais pequenos da casa que dêem resposta a alguns pedidos antes de abrirem os presentes. Na Alemanha, por exemplo, as crianças esperam com impaciência o som de uma campainha anunciando que as prendas já estão debaixo da árvore. Antes de abri-las, deverão entoar o cântico Stille Nacht, heilige Nacht, a tradicional Noite de Paz. Na Letónia, as prendas são trocadas por poemas. O costume exige que, depois da ceia de Natal, as crianças recitem pequenos poemas junto à árvore de Natal antes de abrirem as prendas.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here