Nossa Senhora do Livramento voltou à Venezuela

0
37

Centenas de portugueses retomaram, na noite de domingo, as festividades em Honra de Nossa Senhora do Livramento, padroeira da freguesia do Curral das Freiras, na Madeira, uma tradição interrompida pela pandemia da covid-19.

As festividades começaram com uma oferenda de flores ao Libertador Simón Bolívar e incluíram uma missa na Igreja de San José de Chacao (leste de Caracas).

Após a missa, dezenas de pessoas participaram numa procissão, acompanhando o andor de Nossa Senhora do Livramento por várias ruas daquela localidade, ao som de música religiosa interpretada pela Banda Recreativa Madeirense. Houve ainda uma apresentação de folclore português, a cargo do Grupo Os Lusíadas.

Em declarações à agência Lusa, o português Ermelino Figueira Fernandes, explicou que as festividades foram organizadas pela Confraria de Nossa Senhora do Livramento.

“Esta festa é uma tradição que se realiza anualmente em Caracas, desde 1994, No entanto a confraria surgiu no ano 2000 e com a chegada da pandemia (da covid-19) tudo se paralisou. Esta é a primeira vez que se realiza desde 2019”, explicou.

Natural do Curral das Freiras, aquele português adiantou que nos últimos anos “muitos portugueses foram embora para Portugal”, e que ele própria viu uma filha emigrar para os Estados Unidos, onde exerce a profissão de odontologista.

No entanto, sublinhou, a festa teve “uma recetividade muito boa” e a confraria “quer que cada vez mais pessoas participem, principalmente os jovens”.

“Eu sinto algo inexplicável quando participo na festa. É uma tradição de família, porque o meu pai era devoto de Nossa Senhora do Livramento e saia (da freguesia) do Curral das Freiras para o norte à procura de festeiros”, explicou.

De profissão comerciante e emigrado na Venezuela desde os 14 anos de idade, desde agosto de 1977, Ermelino Figueira Fernandes explicou ainda que pediu a Nossa Senhora do Livramento o fim da pandemia da covid-19 e que dê saúde “para todos os portugueses e cidadãos em geral”.

Por outro lado, Manoel da Silva, vice-presidente da Confraria de Nossa Senhora do Livramento contou que fica particularmente emocionado quando vê a alegria das pessoas que participam na festa e quando ouve a banda tocar música.

“Eu faço a decoração da Igreja e os arranjos florais. Enquanto faço isso aproveitei para pedir a Nossa Senhora muita saúde e força para continuar com a tradição, a fazer o trabalho que faço todos os anos”, disse.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here