O Passaporte Português continua a ser o sexto mais poderoso do mundo

Os cidadãos asiáticos continuam a ter os documentos de viagem que abrem mais portas em mais países e o Japão está no topo da classificação, oferecendo acesso sem visto ou na chegada a 193 destinos em todo o mundo, segundo o último relatório do ‘Henley Passport Index‘ que mede periodicamente os passaportes que oferecem maior facilidade em viajar.

Singapura está em segundo lugar (com uma pontuação de 192) e a Coreia do Sul empata com a Alemanha em terceiro (com 191). Estas posições são semelhantes às da última atualização, revela um artigo da Executive Digest.

Já o passaporte português ocupa a sexta posição, o que significa que o documento dá entrada sem visto em 188 países, e que a classificação obtida em janeiro deste ano se mantém (e com uma pontuação mais alta), mesmo com todos os impactos e restrições da pandemia.

A classificação padrão, no entanto, não leva em consideração as proibições temporárias, explica a promotora do estudo, a Henley & Partners, em comunicado, citada pela Executive Digest.

Em conjunto com Portugal, em sexto lugar neste ranking mundial, está França, Irlanda, Holanda e Suécia, todos com a mesma pontuação de 188. À frente estão outros países europeus, nomeadamente, Finlândia, Itália e Luxemburgo, que ocupam a quarta posição, com 190 pontos. Também a Áustria e a Dinamarca, em quinto lugar, surgem na dianteira, abrindo portas a 189 países.

Atualmente, os Estados Unidos mantêm-se em sétimo lugar no índice oficial, em conjunto com a Nova Zelândia, Suíça, Reino Unido e Bélgica, com uma pontuação de 187. O Brasil, ocupa a 17.ªposição, registando 171 pontos, à semelhança da Argentina e de Hong Kong.

Assim, os melhores passaportes para manter em 2020 são: Japão (193 destinos); Singapura (192); Coreia do Sul, Alemanha (191); Itália, Finlândia, Espanha, Luxemburgo (190); Dinamarca, Áustria (189); Suécia, França, Portugal, Holanda, Irlanda (188); Suíça, Estados Unidos, Nova Zelândia, Reino Unido, Bélgica (187); Grécia, Noruega, Malta, República Checa (186); Canadá, Austrália (185); Hungria, Lituânia, Polónia e Eslováquia (183)

Os piores passaportes para ter serão: Nepal (38); Palestina (37); Somália (34); Iémen  (33); Paquistão (32); Síria (29); Iraque (28)

O Henley Passport Index é baseado nos dados fornecidos pela Autoridade Internacional de Transporte Aéreo (IATA) e abrange 199 passaportes e 227 destinos de viagem. É atualizado em tempo real ao longo do ano, à medida que as mudanças na política de vistos entram em vigor.