O português Alberto Vieira lidera a indústria hoteleira na Venezuela

0
78

Desde finais do ano 2017, Alberto Faria Vieira, natural de Cámara de Lobos, na ilha da Madeira, assumiu a presidência da Federação Nacional de Hotéis da Venezuela, em substituição do seu compatriota Rafael Macedo, sendo o único português a presidir ao grémio hoteleiro no país, este organismo foi fundado em 1953 com o nome de Corporação Nacional de Hotelaria e Turismo, devido à sua responsabilidade com o sector hoteleiro, faz parte do Conselho Superior de Turismo, onde todos os presidentes das diferentes câmaras e federações relacionadas com a área turística participam em feiras internacionais, em representação do grémio, devido à pandemia da COVID-19, argumenta que foram dois anos difíceis para a indústria, no entanto fez contactos estreitos com a Câmara da Colômbia e da Argentina, não teve contactos com a câmara hoteleira portuguesa, mas argumenta que é necessário e importante reforçar os laços com os seus colegas da nação portuguesa.

Vieira, de origem madeirense, nasceu em 1981 e emigrou para Caracas, com apenas 4 anos de idade, licenciado em Administração de Empresas, licenciado pela Universidade Metropolitana, e muito provador de espetada e milho frito, tal como os seus pais nasceram em Cámara de Lobos, Ilha da Madeira, os seus familiares dedicaram-se à avicultura e floricultura, a cultura lusitana tem sido muito enraizada, para manter os laços espiritualmente, onde a fé cristã é vivida com grande emoção, sendo devotos de Santo António e de Nossa Senhora de Fátima, os dias 13 de Maio e 13 de Junho são datas importantes para a sua família, para levar com orgulho a localidade e a tradição, ajudaram-no na sua forma de estar, sempre à frente nos cuidados hospitalares, na responsabilidade, para cuidar e preservar a nossa cultura no ambiente de trabalho, para levar os seus conhecimentos para o local de trabalho.

O interesse de Alberto Vieira no sector do turismo começa por estar ligado à gestão de um conhecido hotel em Caracas desde 2015, participou num directório, pela Federação Nacional de Hotéis, convidando-o sempre para actividades e reuniões, as necessidades dos empresários e empresários do sector, que tem em comum os mesmos problemas.

«Se trabalharmos juntos como federação, podemos alcançar grandes coisas e fazer mudanças de interesse e relevância para a actividade hoteleira e turística, gestão de equipas de trabalho, contratos, serviço, utilização de recursos humanos e financeiros, uma vez que vivemos do serviço ao cliente, algo que é do interesse de todos é o turismo, Se também trabalharmos em conjunto com o Estado para atrair estes turistas, podemos desenvolver um grande trabalho no interesse comum de todos, há uma oportunidade de destacar favoravelmente uma política com abordagens de todas as partes» salientou Vieira.

Vieira também comentou de facto, existem muitos hotéis que pertencem a famílias portuguesas, também pousadas, empreendimentos turísticos, ao nível de experiências, oferecem excursões, a qualquer cidade que se visite na Venezuela, sempre se relacionam portugueses e descendentes de portugueses no sector do turismo, tendo uma grande comunidade portuguesa na Venezuela, cada dia mais vinculada pelos serviços oferecidos pela embaixada e pelos vários consulados gerais e honorários, que estão dispostos a frequentar, para além do número de centros sociais, estabelecimentos comerciais e a promoção da gastronomia lusitana, de ser uma comunidade muito empreendedora, geradora de talento humano, que contribui com grandes ideias e que produz de uma forma ou de outra, para exportar ou trazer alguma mercadoria, produto da forte tradição como família, a ligação dos dois países aproxima-se da proximidade, vê necessária a presença da cidadania portuguesa venezuelana, que assumiu no reforço dos laços entre os dois países, pelo que é importante vê-la reflectida também ao nível do Estado venezuelano.

No que diz respeito ao registo de turistas portugueses no país, não dispõe de números relativos aos últimos 3 anos de turistas que visitaram o país, «mas pode dizer-se que em 2018 cerca de 400. 000 turistas, houve uma grande percentagem que veio de Portugal, produto da emigração, que vêm para visitas familiares, a TAP permaneceu activa e em breve haverá abertura de voos e não há tantas restrições, veremos uma maior presença de portugueses a visitar a Venezuela, por exemplo a cadeia portuguesa de Hotéis Pestana está interessada em abrir as suas instalações em alguma cidade turística do país», sublinhou Vieira.

O seu lugar preferido na Venezuela é a Ilha Margarita, a pérola do Caribe, pelas suas belas praias, pela variedade de restaurantes, centros comerciais e pela capacidade hoteleira oferecida pela ilha, que tem uma atmosfera afrodisíaca, ele sente que a região da ilha está a melhorar em contraste com os anos anteriores.

Enquanto em Portugal, embora visite a Ilha da Madeira com muita frequência para visitas familiares, ama mais a cidade de Lisboa, devido à grande promoção que este destino tem tido, a capital do país tem um sabor tão especial tão perto do mar, ao ouvir o fado, as suas ruas estreitas, lembra-nos os grandes marinheiros e a literatura mundial, O seu escritor favorito é o Prémio Nobel da Literatura de 1997 José Saramago, «tem o gosto de uma cidade antiga, mas com um toque de novos desenvolvimentos, modernidade do produto desta actividade turística, é importante para Portugal, cada vez mais turistas visitam a nação lusitana, graças ao apoio do Estado português, que está sempre presente em todas as feiras de turismo do mundo».

Finalmente, considera que a Venezuela pode melhorar a área turística, argumenta que a actividade hoteleira contribuirá para o crescimento, embora o país tenha apenas 5400 hotéis, espera continuar a registar as pousadas e a incluí-las no grémio hoteleiro, mencionou o exemplo de Caracas de que existem muitos projectos de construção e têm sido favorecidos pelo plano de reactividade turística em tempos de pós-pandemia COVID-19, uma vez que o regresso dos eventos artísticos, culturais e desportivos irá aumentar o trabalho do sector hoteleiro no país de acordo com a visão de Alberto Vieira.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here