Oposição critica Costa pela não execução do plano de drenagem

Várias zonas da cidade de Lisboa voltaram a ficar inundadas na sequencia de fortes chuvas

0
718

A oposição na Câmara de Lisboa voltaram, segunda-feira, 13 de Outubro, a criticar o presidente da autarquia, António Costa, pelas inundações registadas no mesmo dia, durante a tarde, denunciado a falta de limpeza das sarjetas e exigindo que o plano de drenagem da cidade avance.

O presidente da concelhia de Lisboa do PSD, Mauro Xavier, disse à agência Lusa que vai “propor, em sede de Assembleia Municipal, à comissão eventual para apurar responsabilidades nesta matéria”.

“Nós não entendemos que a limpeza e a higiene urbana seja uma matéria de esquerda ou de direita, mas sim uma matéria de competência, e neste caso a Câmara de Lisboa tem sido claramente incompetente”, afirmou o dirigente social democrata, referindo-se à falta de limpeza das sarjetas.

Para Mauro Xavier, entre as medidas que deviam ser colocadas em prática para resolver o problema das inundações encontra-se “o plano de drenagem da cidade, que permitirá escoar a água, e a limpeza de sarjetas no tempo do verão”.

“É importantíssimo implementar este plano de drenagem da cidade, que há sete anos que está na gaveta e que António Costa tem, mas não o implementa”, referiu.

Segundo António Prôa, vereador do PSD na Câmara de Lisboa, nas inundações de “a maré estava longe de estar cheia (…), o aviso laranja foi anunciado com antecedência, (…) e, por isso, não é possível atribuir as culpas nem à maré nem aos meteorologistas”.

“Desta vez já ninguém acredita que estes fenómenos são pontuais”, declarou.

De acordo com o vereador do CDS-PP João Gonçalves Pereira, as inundações “só vêm justificar a prioridade que é a execução de um plano de drenagem na cidade de Lisboa, que está apenas dependente daquilo que é uma decisão meramente política”.

“Os 153 milhões de euros que são necessários para esta intervenção devem ser utilizados de uma forma faseada (…), o que a Câmara diz é que o município neste momento não tem esse valor para poder avançar com o plano de drenagem, mas é um falso argumento”, referiu.

O vereador do PCP Carlos Moura referiu que a situação de inundações na cidade de Lisboa “é particularmente grave”, uma vez que “existe desde 2008 uma plano de drenagem para a capital e que nada justifica que estes anos todos nada tenha sido posto em prática”.

“É verdade que é um plano bastante oneroso em termos de custos, mas em termos de custo/benefício é favorável à cidade e aos munícipes. Há medidas que são necessárias colocar em prática, pelo menos, as medidas mais urgentes do plano de drenagem de Lisboa, como a criação das bacias de retenção”, afirmou.

A chuva intensa que caiu, entre as 14:00 e as 15:00, na capital causou diversas inundações em vários pontos da cidade.

Segundo a página de Internet do Regimento dos Sapadores Bombeiros (RSB), foram registadas inundações em Benfica, São Domingos de Benfica, Olivais e Misericórdia, Parque das Nações, Estrela, Alvalade, Santa Clara, Campolide, Ajuda e Santo António.

Os túneis do Campo Grande, o túnel da Avenida João XXI e a Calçada de Carriche foram cortados ao trânsito durante a tarde, devido à acumulação de água na sequência da chuva intensa que se fez sentir durante a tarde, disse fonte policial à agência Lusa, num situação que ficou resolvida cerca de duas horas depois.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here