Parque Natural de Montesinho

0
32

No Nordeste Transmontano, bem coladinho a Espanha, esconde-se um dos santuários naturais mais apaixonantes de Portugal. Estamos a falar do ondulante Parque Natural de Montesinho, uma excelsa mancha verde às portas de Bragança e Vinhais, onde o tempo passa devagar, a natureza impera e as tradições persistem.

Com 74.224,89 hectares, o Parque Natural de Montesinho é um dos recantos mais selvagens e inexplorados de Portugal e caracteriza-se pela sobriedade da paisagem pautada por relevos suaves com cabeços arredondados separados por vales de rios encaixados.

As oportunidades de trilhos são virtualmente infinitas e surpreendentes. E não faltam idílicas cascatas e praias fluviais para uns refrescantes banhos depois das caminhadas. Se caminhar não é muito a sua praia, pode sempre embarcar numa aventura de exploração do parque em 4×4. Há razões e alternativas de sobra para desfrutar do templo natural que é o Parque Natural de Montesinho.

Não é por mero acaso que uma parte significativa da fauna terrestre portuguesa chama o Parque Natural de Montesinho de “lar”. Entre eles destaca-se o Lobo Ibérico e o Veado Vermelho, que aqui encontram um refúgio. Possui uma variada avifauna (mais de 120 espécies de aves nidificantes), incluindo a presença de 70% das espécies animais terrestres que ocorrem em Portugal. A ictiofauna (peixes) inclui o barbo, a boga, o escalo e a truta. Montesinho é tão bonito que em 2019 um Urso Pardo da Cantábria por lá andou a fazer umas férias. Quem sabe, na próxima, não traz uma amiga e assenta arraiais por Portugal.

Na paleta de verdes que decora as montanhas do Parque Natural de Montesinho, dominam os reboredos de carvalho, sobrais e soutos de castanheiro (cuja castanha serve de símbolo ao parque), uma extensa cobertura de matos de giestas, urzes e estevas, que dão cor à paisagem, sem esquecer a vegetação ribeirinha, os prados naturais (lameiros) e as culturas de sequeiro.

O sabor a ruralidade está bem atestado pela presença de fornos e fráguas do povo, moinhos e lagares comunitários; inúmeros exemplos de arquitetura popular no domínio da habitação e nos equipamentos associados ao viver quotidiano. Repositório de velhas tradições, ainda hoje expressas em diferentes momentos festivos. A título de curiosidade, saiba que no interior do Parque Natural de Montesinho existem mais de 90 aldeias e que o ponto mais alto do parque é na Serra do Montesinho, cujo pico tem 1486 metros de altitude.

A melhor época do ano para visitar o Parque Natural de Montesinho depende muito dos seus interesses. Na gíria popular transmontana é comummente utilizada a expressão “nove meses de inverno e três de inferno” para caracterizar o clima das Terras Frias e dos planaltos transmontanos nos quais se insere o Parque Natural de Montesinho. É verdade que a região tem fama de invernos frios prolongados e verões curtos e quentes.

Contudo, contrariando um pouco o provérbio, no final da primavera e início do outono as temperaturas são por norma mais amenas, tornando-as nas estações ideais para quem adora fazer caminhadas na natureza.

Na primavera, a chuva e o degelo enchem rios, ribeiros e riachos que correm selvagens. O outono traz a frescura ansiada dos quentes dias de verão, que aqui podem ser inclementes.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here