Polícia investiga circunstâncias da morte de comerciante madeirense

A polícia venezuelana confirmou que está a investigar as circunstâncias da morte de um comerciante madeirense de 60 anos de idade, que morreu calcinado em Araure, no estado de Portuguesa, 350 quilómetros a sudeste de Caracas.

Segundo fontes policiais, a morte de Manuel de Lima Spínola ocorreu pelas 16:00 locais de segunda-feira, quando se encontrava dentro da sua viatura, que tinha estacionado numa rua de Capuchinos, em Araure.

A imprensa local dá conta que várias pessoas que transitavam pelo local tentaram, sem sucesso, socorrer a vítima, partir os vidros, mas as chamas cobriram rapidamente a viatura.

Uma testemunha do ocorrido explicou à polícia que o comerciante usou o seu telemóvel e depois de entrar na viatura esta incendiou-se rapidamente.

Funcionários dos bombeiros e dos Serviços de Proteção Civil de Araure, acudiram ao local e tentaram, sem sucesso, apagar as chamas, que consumiram a viatura na totalidade.

Manuel de Lima Spínola era natural da freguesia do Seixal, Porto Moniz, Madeira, onde nasceu a 20 de outubro de 1960.

As investigações estão a cargo do Eixo de Homicídios do Corpo de Investigações Científicas Penais e Criminais (CICPC), antiga Polícia Técnica Judiciária, organismo que procura determinar as causas reais que desencadearam o fogo, que se terá iniciado no interior da viatura.