Preço das casas na Madeira aumentou 5,4% no primeiro trimestre

0
42

Os preços das casas na Região Autónoma da Madeira apresentaram uma subida de 5,5% no primeiro trimestre de 2022 face ao trimestre anterior.

Estes são dados de um estudo do portal idealista, que recorda que comprar casa na Madeira tinha um custo de 2.009 euros por metro quadrado (euros/m2) no final do mês de março, tendo em conta o valor mediano. Já em relação à variação mensal, a subida foi de 2,7% e a anual de 13,2%.

Os preços da região subiram no Funchal (5,5%), Ponta do Sol (5,3%), Calheta (4,6%), Câmara de Lobos (2,8%), Santana (2,4%) e Santa Cruz (1,4%). Em sentido contrário, os preços desceram em Ribeira Brava (-3,5%), São Vicente (-2,9%) e Machico (-0,7%).

O município mais caro para comprar casa é o Funchal (2.227 euros/m2), seguido por Calheta (2.056 euros/m2), Câmara de Lobos (1.710 euros/m2) e Ribeira Brava (1.678 euros/m2). Em contrapartida, os mais económicos são Santana (969 euros/m2), São Vicente (1.037 euros/m2) e Machico (1.248 euros/m2)

Acompanhando a tendência da região, as casas no Porto Santo subiram 3,7% durante o mesmo período analisado, fixando o preço do metro quadrado em 1.431 euros/m2.

Por sua vez, a nível nacional, a habitação registou uma descida de 1,2% em fevereiro, situando-se em 2.352 euros/m2.

Atentando neste indicador por cidades capitais de distrito, os preços das casas em Portugal apresentaram uma subida de 1,2% no primeiro trimestre do ano face ao trimestre anterior. Segundo o índice de preços do idealista, comprar casa tinha um custo de 2.352 euros por metro quadrado (euros/m2) no final do mês de março, tendo em conta o valor mediano. Já em relação à variação mensal e anual, os preços subiram 0,7% e 7,8%, respetivamente.

Os preços das casas no primeiro trimestre subiram em 15 capitais de distrito, com Évora (17,2%) e Guarda (8,3%) a liderarem a lista. Seguem-se Vila Real (5,5%), Funchal (5,5%), Viana do Castelo (4,1%), Ponta Delgada (3,9%), Bragança (3,3%), Viseu (3,2%), Aveiro (2,8%), Lisboa (2,8%), Leiria (2,5%), Faro (1,6%), Porto (1,5%), Castelo Branco (1,2%) e Santarém (0,4%).

Por outro lado, os preços desceram em Portalegre (-5,9%), Setúbal (-0,8%), Coimbra (-0,5%), Beja (-0,4%) e Braga (-0,4%).

Lisboa continua a ser a cidade onde é mais caro comprar casa: 5.130 euros/m2. Porto (3.058 euros/m2) e Funchal (2.227 euros/m2) ocupam o segundo e terceiro lugares, respetivamente. Já as cidades mais económicas são Portalegre (640 euros/m2), Castelo Branco (779 euros/m2), Bragança (793 euros/m2), Guarda (811 euros/m2) e Beja (824 euros/m2).

Já por distritos, as maiores subidas de preços tiveram lugar na Ilha do Faial (11,5%), Ilha Terceira (8,5%), Ilha da Madeira (5,5%), Ilha de Porto Santo (3,7%), Setúbal (3,4%), Leiria (3,3%), Faro (3,2%), Évora (3,1%), Guarda (2,8%), Braga (2,7%), Ilha de São Miguel (2,6%), Santarém (2,4%) e Bragança (2%). Seguem-se Lisboa e Porto (1,9% em ambos os distritos), Aveiro (1,7%), Viseu (1,5%) e Viana do Castelo (1,5%).

Por outro lado, os preços desceram na Ilha de Santa Maria (-18,8%), Portalegre (-4,8%), Beja (-3,5%), Castelo Branco (-2,7%), Ilha do Pico (-2,5%), Vila Real (-1,3%) e Coimbra (-1,2%).

De referir que o ranking dos distritos mais caros para comprar casa é liderado por Lisboa (3.797 euros/m2), seguido por Faro (2.685 euros/m2), Porto (2.315 euros/m2), Ilha da Madeira (2.022 euros/m2), Setúbal (2.009 euros/m2), Ilha de Porto Santo (1.431 euros/m2), Aveiro (1.422 euros/m2), Ilha de Santa Maria (1.337 euros/m2), Leiria (1.297 euros/m2), Braga (1.281 euros/m2), Coimbra (1.214 euros/m2) e Ilha de São Miguel (1.128 euros/m2). Comprar casa em Évora tem um custo de 1.088 euros/m2, em Viseu de 895 euros/m2 e em Santarém de 862 euros/m2.

Os preços mais económicos encontram-se em Portalegre (578 euros/m2), Guarda (679 euros/m2), Castelo Branco (716 euros/m2) e Bragança (776 euros/m2).

De assinalar que, por regiões, durante o primeiro trimestre, os preços das casas subiram em todas as regiões do país. A liderar as subidas, encontra-se o Alentejo (6,9%), seguido pela Região Autónoma da Madeira (5,4%) e Algarve (3,2%). Seguem-se a Região Autónoma dos Açores (2%), a Área Metropolitana de Lisboa (1,6%), o Norte (1,3%) e Centro (0,5%).

A Área Metropolitana de Lisboa, com 3.400 euros/m2, continua a ser a região mais cara, seguida pelo Algarve (2.685 euros/m2), Região Autónoma da Madeira (2.009 euros/m2) e Norte (1.954 euros/m2). Do lado oposto da tabela encontram-se a Região Autónoma dos Açores (1.068 euros/m2), o Alentejo (1.185 euros/m2) e Centro (1.194 euros/m2) que são as regiões mais baratas.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here