Recomendações artísticas (de 3 a 9 de fevereiro de 2017)

0
785

Ommyra Moreno Suárez

“Diacrónicos Coincidentes”

A Galería Espacios, localizada em The Hotel, en El Rosal, apresenta uma exposição de uma seleção de obras de nove artistas venezuelanos de diferentes gerações com mais de vinte peças, incluindo aguarelas, acrílicos, serigrafia, peças híbridas, madeira pintada e fotografias alteradas. As obras podem ser apreciadas até 25 de março. Rafael Arteaga, Fernando Wamprechts, Miguel von Dangel, Isabel Cisneros, Nadia Benatar, Víctor Julio González, Lihie Talmor, Consuelo Méndez e Luis Noguera são os criadores envolvidos neste coletânea, que a partir de sua própria visão e linguagem plástica, coincidem “na paisagem e nas suas textura, no corpo humano como uma parte integrante da grande teia da natureza, a terra, o saber orgânica, o feminino, mas especialmente interdisciplinaridade», como afirma Marianella Guevara Zerlin, curadora da exposição. O público pode visitar a mostra “Diacrónicos Coincidentes” e apreciar as diversas propostas de nove importantes expositores das artes plásticas no nosso país até 25 de março, de segunda a sexta entre as 10h00 e as 13h00 ou das 14:00 às 17h00, e aos sábados das 9h00 às 14h00. A entrada é gratuita.


“Ignudi. Oscar Milano”

O atrevimento de mover a Capela Sistina diante dos nossos olhos, numa bem-sucedida simbiose tempo/espaço, com uma leitura contemporânea válida, resulta do acertado diafragma obstruído pelo ator fotográfico Oscar Milano, que consegue, com o tema ‘Miguelangelesco’ dos “ignudi” captar, nestes sorpos nús de convulsionadas tensões, como estátuas vivas, umas palpitações plenas de citalidade em correlação com as expressões artísticas de todos os tempos. “Ignudi. Oscar Milano” será exibido até 11 de março na sala de pediatria da ONG, localizada na Maria Teresa Toro de las Acacias, entre as ruas Cuba e Centroamérica, em Caracas


“La Ceibita”

Nesta exposição, as pessoas do bairro também têm o seu nome e os seus relatos nas telas, nas ruas e urbanizações de El Valle, com seus bairros espaçosos com um ambiente saboroso e partilhado com apelidos. No bairro de Carlos Germán Rojas, os retratados comem, comemoram, bebem, dançam, amam-se, jogam, conversam, amam-se, criam os seus filhos e as suas mães os amamentam com amor como em qualquer outro local da cidade. A novidade é ver isto em retrato. Do ponto de vista documental, corre a cortina e, portanto, tudo isto ajuda a desmistificar ou a desprejudicar um olhar sobre o bairro. E desde este ponto de vista etnográfico nos deixa um documento excecional que contribui para esta tarefa que consiste em nos compreender enquanto povo e nação. A exibição estará patente até ao dia 11 de março nas salas 1 e ‘Gusano’ de La ONGlocalizada na avenida María Teresa Toro de las Acacias, entre as ruas Cuba e Centroamérica, em Caracas.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here