Recomendações de teatro (de 23 a 29 de setembro de 2016)

0
539

Ommyra Moreno Suárez

“El club de los Cursis”

A comédia “El club de los Cursis”, escrita por Karin Valecillos e dirigida por Leonardo Van Schermbeek, é uma peça que surge da iniciativa de quatro jovens atrizes: Carla Müller, Maga Díaz, María Alesia Machado e Diana Díaz. Em cena, um grupo de ajuda liderado por Arnaldo, um professor de sabedoria, tenta libertar Federico, Yubrasil, Josefina e MaykolYeiYunior da “doença” do romanticismo, da qual todos precisam de se salvar, controlar os seus impulsos de afeto e aperceber-se de que, devido à sua pretensão, são uma espécie em extinção, indivíduos perdidos que não encaixam nesta sociedade. O diretor da peça, Leonardo Van Shermbeek, juntamente com os atores Antonio Delli, Maga Díaz, Diana Díaz, Aitor Aguirre, Carla Müller, María Alesia Machado e Héctor Castro fazem um trabalho incrível, onde as referências de cultura pop estão presentes e a audiência poderá identificar-se e viver a peça como se fizesse parte deste clube de autoajuda. “El club de los Cursis” apresenta-se nos dias 23 e 30 de junho no Centro de Arte Los Galpones de los Chorros, às 19h00.

Edgar e Anabel

A obra conta a história de um casal perfeito que vive numa casa perfeito. O único problema é que nem ele se chama Edgar nem ela Anabela. Os seus verdadeiros nomes são Nick e Marianne e o seu verdadeiro trabalho é para uma organização política que se opõe a um regime autoritário. Tudo o que se diz na casa perfeita de Edgar e Anabel é gravado pelos computadores do regime, de forma que é preciso ter cuidado com cada palavra e tom para manter a fachada. Com a premissa de “Nada é o que parece”, a peça mistura drama e sátira para apresentar uma realidade dual que pode parecer divertida mas ao mesmo tempo aterradora, pois durante 90 minutos explora como a política cai que nem uma bomba no lar e se cola nos relacionamentos mais íntimos. Através de cenas cómicas mas também sombrias, a montagem convida a refletir sobre o preço que tem que pagar pode defender uma ideologia, perguntando ao espetador até que ponto a vida quotidiana e a identidade própria são afetadas pela paranoia de uma sociedade vigiada desde o poder ou pelas obsessões na luta pela liberdade. A obra vai ser apresentada no Espaço Plural do centro cultural Paseo Las Mercedes.

O beijo da mulher aranha

O beijo da mulher aranha, adaptação da novela homónima do argentino Manuel Roig, sob a direção de Humerto Ortiz. Com as atuações de Francisco “Pancho” Salazar, Jhonny Rivas e Arnaldo Mendonza, a obra será apresentada na Sala La Viga do CCCH-Centro Cultural Chacao, às sextas-feiras às 18h00 e aos sábados e domingos às 16h00. As entradas custam 1.000 Bs. A obra põe a nu a relação afetiva entre dois presos que convivem num mesmo quarto da cadeia. O primeiro, Valentín, está detido e não comunica cm o exterior por subversão social. Molina, por sua vez, é um homem maior (homossexual) que e acusado de molestar um menor de idade. A obra tem lugar na Sala La Viga, no sótão 2 do CCCH, Av. Tamanaco, El Rosal. As entradas podem ser adquiridas na bilheteira do teatro e através de www.ticketmundo.com.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here