Reino Unido e Portugal com acordo bilateral mais amplo dentro da UE

0
23

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou hoje que Portugal e o Reino Unido assinaram hoje uma declaração conjunta sobre cooperação bilateral que é a mais ampla em termos de setores abrangidos de todos os Estados-membros da União Europeia.

António Costa assumiu esta posição depois de ter sido recebido pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, no número 10 da Downing Street, em Londres, encontro que durou cerca de 45 minutos e no qual também esteve presente o ministro dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho.

“Esta declaração conjunta será fundamental para relançar a mais antiga aliança que existe a nível mundial após o Brexit. Foi das primeiras que Estados-membros assinaram e está é talvez a que abrange mais temas, desde as áreas da defesa, investigação, passando pelo investimento, comércio, até às tecnologias, transição digital e energias renováveis”, declarou o líder do executivo português aos jornalistas.

“São desafios com que estamos confrontados e que podemos responder a eles em conjunto. O facto de termos uma comunidade científica tão forte aqui no Reino Unido ajuda muito a estabelecer as pontes entre as nossas instituições científicas e universitárias”, sustentou.

Perante os jornalistas, António Costa salientou também que o Reino Unido “tem vindo crescentemente a investir em Portugal, “beneficiando as empresas britânicas das vantagens do Brexit no Reino Unido e as vantagens de continuarem na União Europeia por investirem em Portugal”.

“Têm investido sobretudo na área das tecnologias”, completou, antes de observar que a declaração conjunta que assinou com o Governo de Londres “é um acordo chapéu e que organiza as relações bilaterais”.

“Identificámos as áreas que devem ser estratégicas para o desenvolvimento. Somos o sétimo ou o oitavo país da União Europeia a assinar o acordo bilateral com o Reino Unido, mas nenhuma assinou com uma área tão extensa, envolvendo áreas como a segurança, a investigação criminal, a defesa, a política externa, o comércio e investigação”, especificou.

António Costa realçou ainda que a declaração conjunta agora fechada abrange igualmente “a proteção dos portugueses residentes no Reino Unido e dos britânicos residente em Portugal”.

“Como sabem, há cada vez mais nómadas digitais que têm encontrado em Portugal um excelente ambiente para desenvolverem os seus projetos”, referiu.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here