Rui Abreu chega à Venezuela com um programa intenso (+FOTOS)

O representante do Governo da Madeira aterrou em Caracas, expressando a sua avaliação positiva do regresso dos voos da TAP e anunciando apoios para os lares portugueses no país

0
42

Agostinho Silva / Sergio Ferreira

O diretor regional das Comunidades e da Cooperação Externa viajou no voo que marcou o regresso da TAP à Venezuela. Durante a viagem, Rui Abreu elogiou a companhia portuguesa no cumprimento da “obrigação de servir a Diáspora” e desejou a reposição de uma ligação direta ao Funchal logo após a normalização das ligações.

Rui Abreu considera este regresso da TAP à Venezuela “fundamental para comunidade portuguesa e também para a Madeira”, justificando que a falta de mobilidade entre Portugal e a Venezuela também afeta a Madeira. “Passados dois anos, esta ligação, que só se tornará regular em finais de junho, é uma boa notícia”, disse ao JM.

Acaba também por ser um “restabelecimento normal” porque sendo a Venezuela um dos países onde a comunidade portuguesa é muito significativa, a “empresa pública onde o Estado português tem injectado mais de 3 mil milhões de euros, não pode deixar de servir a Diáspora.”

Uma vez que cerca de 75 a 80 por cento da comunidade é oriunda da Madeira, ou descendentes de madeirenses, “após a normalização desta ligação regular, temos de passar à segunda fase que é ter uma ligação direta com escala no Funchal, como já tivemos” – desafia o diretor regional, consciente que tudo dependerá também da dinâmica sócio-económica que houver na Venezuela.

Esta visita à Venezuela surge após outras visitas de Rui Abreu, nos últimos tempos, a Londres, Jersey e África do Sul. “Estou com alguma curiosidade porque não venho à Venezuela há alguns anos. Tivemos um período em que até havia falta de bens de primeira necessidade. Dizem-me que isso está ultrapassado, vamos ver se se confirma.”

O diretor regional revela ainda ser portador de contratos-programa para serem assinados com dois dos lares portugueses, para lhes ceder “um pequeno apoio monetário” de 11 mil euros. “Não é uma grande quantia, mas sim um pequeno apoio para a gestão do dia a dia, já que 70 a 80 por cento dos idosos que ali estão são da Madeira.”

A presença de Rui Abreu em Caracas surge também para relançar a tradição de celebrar o Dia da Madeira, a 1 de julho, mas também na antecâmara da inauguração, em outubro deste ano, de uma réplica do Santuário de Nossa Senhora de Fátima, em Los Teques. “Será um marco na história da nossa comunidade, na Venezuela”, conclui o diretor regional.

Uma visita completa

O programa da visita de Rui Abreu à Venezuela inclui uma vasta gama de reuniões, a fim de manter a proximidade com os madeirenses não só na capital venezuelana, mas também em cidades do interior do país, algo que os cidadãos apreciam, considerando que a maioria das visitas oficiais tendem a concentrar-se em Caracas e Valência.

A viagem do Diretor Regional das Comunidades e Cooperação Externa da Madeira pelo país começa na sexta-feira 22 de Abril, com uma visita à Embaixada de Portugal, onde se encontrará com o Embaixador português em Caracas, Carlos de Sousa Amaro. Posteriormente, o representante do Executivo madeirense deslocar-se-á à cidade de Barquisimeto, Estado de Lara, para visitar o Centro Luso Larense e o Centro Atlántico Madeira Club.

No dia seguinte, Abreu visitará o Centro Luso Venezolano de Araure, no estado de Portuguesa, um clube onde os portugueses regressaram ao conselho de administração após vários anos de ausência. Posteriormente, deslocar-se-á à cidade de Valência, Estado de Carabobo, para visitar o Consulado Geral de Portugal na jurisdição e encontrar-se com os Conselheiros das Comunidades. Não menos importante será a sua presença no Centro Social Madeirense e na Casa Portuguesa Venezolana, onde poderá ouvir em primeira mão as necessidades dos cidadãos madeirenses da região.

Antes do final do dia, o Diretor Regional deslocar-se-á a Maracay, onde se encontrará com membros da comunidade da Casa Portuguesa do estado de Aragua. No domingo 24 de Abril, Rui Abreu tomará o pequeno-almoço com os «avozinhos» no Lar Geriátrico Luso-Venezuelano, na capital de Aragua, e depois viajará para Caracas para participar numa missa e encontrar-se com a comunidade no Centro Português de Macaracuay.

Na segunda-feira, 25 de Abril, o representante do Governo madeirense visitará a Missão Católica Portuguesa e reunir-se-á com os Conselheiros das Comunidades Portuguesas pela região oriental do país. No dia seguinte, será a vez dos empresários madeirenses na capital, que poderão dar o seu ponto de vista sobre a situação económica e comercial do país.

Na quarta-feira, 28 de Abril, Rui Abreu estará presente no Lar Padre Joaquim Ferreira, localizado em Los Anaucos, estado de Miranda, esperando encontrar-se com o atual presidente do conselho de administração, Osvaldo Lúcio Freitas da Costa, e partilhar com os idosos residentes no local. O Diretor Regional viajará logo para os Altos Mirandinos, onde visitará o Santuário de Nossa Senhora de Fátima e assistirá à permanência consular no templo. O dia terminará em Catia La Mar, Estado de La Guaira, para visitar o Centro Luso Venezolano e encontrar-se com representantes dos Parceiros Nau Sem Rumo.

O fim-de-semana será igualmente intenso, começando na sexta-feira 29 de Abril com reuniões com a Asociación Lesados Emigrantes de Venezuela y de Suráfrica (ALEV) e o Cônsul Geral de Portugal em Valência, Licínio Bingre do Amaral, e continuando no sábado no Centro Português. No domingo, Abreu terá uma reunião com membros da Comissão Pró Celebração do Dia da Região Autónoma da Madeira e encerrará a sua visita com a participação no almoço da Academia do Bacalhau no Salão de Banquete Gales, situado no Centro Comercial Ciudad Tamanaco, a leste de Caracas.

Em Barquisimeto com equipa completa

Nelson Nunes (Los Teques), Gil Andrade Caldeira (Caracas) E João Andrade (Maracay) são os novos conselheiros da Diáspora Madeirense pela Venezuela. Juntamente com o coordenador Aleixo Vieira, que se mantém em funções, vão estar todos juntos acompanhando a visita do diretor regional das Comunidades a Barquisimeto, a 4 horas da capital venezuelana.

Após a chegada a Caracas, Rui Abreu teve uma primeira reunião de trabalho, na qual participou também António Freitas, conselheiro das Comunidades Portuguesas (órgão consultivo do Estado português).

Embaixador recebeu representação madeirense

O embaixador de Portugal na Venezuela, que abandona estas funções em breve, abriu a sua residência oficial em Caracas ao diretor regional das Comunidades e Cooperação Externa. O embaixador Carlos Sousa Amaro aproveitou a oportunidade para fazer uma explanação da sua experiência diplomática em vários países, a qual se cruza em inúmeras situações com o dia a dia dos emigrantes portugueses. Na Venezuela o diplomata foi protagonista de alguns momentos muito sensíveis com o regime bolivariano.

Uma feliz ‘Encruzilhada’ como ponto de partida

João Andrade é um dos novos conselheiros da Diáspora Madeirense na Venezuela, para a área de Maracay, e acaba de juntar-se ao grupo que saiu de Caracas em direção a Barquisimeto.

É a primeira vez que os quatro conselheiros se encontram. A pedido do JM posaram com o diretor regional Rui Abreu para uma foto inédita junto à famosa ‘La Encrucijada’, entre Cágua e Maracay. Trata-se de um estabelecimento de famílias madeirenses, conhecido por servir uma das melhores sandes de pernil. Já foi referido várias vezes por altos governantes da Venezuela, por já ter acolhido encontros ao mais alto nível para negociar estratégias políticas e não só. Vários embaixadores dos EUA também já foram referidos como presença habitual em ‘La Encrucijada’.

Nelson Nunes (Los Teques), Gil Andrade Caldeira (Caracas) e João Andrade (Maracay) são os novos conselheiros da Diáspora Madeirense pela Venezuela. Juntamente com o coordenador Aleixo Vieira, que se mantém em funções, vão estar todos juntos durante o dia de hoje, acompanhando a visita do diretor regional das Comunidades a Barquisimeto, a 4 horas da capital venezuelana.

Visita a seis associações em dois dias

Até ao final deste sábado, o diretor regional das Comunidades e os quatro conselheiros da Diáspora Madeirense terão visitado seis organismo associativos e reunido com os respetivos dirigentes. No segundo dia da visita, a comitiva visitou o Centro Luso Larense e, ao final da jornada, o Centro Atlântico Madeira Club, ambos em Barquisimeto. O terceiro dia vai começar no Centro Português de Acarigua, seguindo-se a Casa Portuguesa Venezuelana do Carabobo. Ainda em Valencia tem encontro marcado no Centro Social Madeirense, fechando a ronda em Maracay na Casa Portuguesa de Aragua e no Geriátrico Luso Venezuelano. Para além destes encontros, há reunião com a cônsul de Portugal em Valencia e outras reuniões relevantes com empresários.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here