Um pedaço de Santana na cidade de Caracas

Um comerciante lusitano construiu uma casa de Santana no terraço do seu negócio

0
1478

Na Venezuela, a comunidade portuguesa é muito numerosa e a grande maioria dos seus membros são oriundos da ilha da Madeira. Grande parte deles sente saudades da sua terra, que tiveram de deixar por diferentes motivos, em busca de um melhor futuro.

Um desses casos é o de Fernando de Sousa, que nasceu em Campanário a 2 de Janeiro de 1942 e que é proprietário de um espaço na urbanização Vista Alegre, a Oeste de Caracas. Pisou a Venezuela pela primeira vez durante o governo de Marcos Pérez Jiménez. “Cheguei a 6 de Agosto de 1956, por Maiquetía. Estive um dia em Caracas e depois fomos para Valência. Mudei-me para Caracas aproximadamente no ano de 1960”, comentou.

Tem o seu negócio desde 1996, mais especificamente um restaurante. No terraço deste espaço, construiu uma casa de Santana. “Fi-lo como recordação da nossa terra, do nosso país. Nós viajamos e vemos isto lá. Fiz para estar mais perto de casa, ainda que vá lá todos os anos”, disse.

IMG_0945As paredes da casa são de blocos, as portas de madeira e tem uma particularidade: O tecto é de zinco. “Levámos um mês a fazê-lo. Paguei a alguém que o fizesse, fui dando a ideia e até mostrei as fotos que tenho. E aqui está”, comentou.

A casa de Santana causou boas impressões na zona. “Tanto portugueses como venezuelanos perguntaram-me de onde tirei a ideia e expliquei-lhes que é uma recordação da nossa terra”, acrescentou Fernando.

A ideia surgiu o ano passado. “Viajámos o ano passado, visitámos Santana e tirámos uma foto numa casa típica, com uma camacheira, e então pensou fazer isso como recordação”, contou a esposa, Maria Jardim de Sousa, que vive no país há 50 anos. Tem cinco filhos e quatro netos. “Um dos meus filhos já foi para o céu, e cuida de nós desde lá de cima”, acrescentou.

Inclusive os seus empregados e o próprio Fernando brincam com a casa. “Estava lá em baixo no espaço e perguntei por Fernando. Disseram-me que estava em Santana. De imediato pensei que era aqui. Quando me disse que queria fazê-la, disse-me que quando estivesse cansada que viesse para cá e descansasse um pouco”, assinalou Maria, entre risos.

Faltam alguns detalhes na casa. “Falta o televisor mas já o temos aqui. Eu quero ter um jardim de hortênsias. Consegui uma mas é muito pequena”, contou Maria. “Essa é ainda uma sombra de jardim”, acrescentou Fernando.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here