Finanças pessoais instantâneas: «Uma incapacidade pode pôr em risco o teu património»

0
800

Marisol fica muito surpreendida com a notícia que lhe acabam de dar. O seu padrinho, amigo próximo dos seus pais, sofreu uma lesão grave na coluna na sequência de um acidente de automóvel. Os seus filhos ainda estudam e a sua esposa sempre se dedicou aos trabalhos do lar. Agora esta família encontra-se perante um cenário desolador. Quem providencia os rendimentos está incapacitado e requer cuidados especiais que implicam o desembolso de uma soma considerável de dinheiro durante um tempo indefinido.

Ninguém está livre de focar incapacitado em qualquer idade, seja devido a um acidente, seja por causa de de uma doença ou desordem do tipo cognoscitivo (como Alzheimer, Parkinson). Uma pessoa encontra-se incapacitada quando, por razões derivadas da falta ou perda da capacidade física, psíquica ou intelectual, necessita de assistência ou ajuda relevante para realizar actividades do quotidiano, como tomar banho, vestir-se, alimentar-se, ir à casa de banho ou movimentar-se.

Fica claro que uma pessoa incapacitada, além da impossibilidade de gerar rendimentos, gera gastos adicionais que afectam o orçamento familiar. Normalmente, a apólice de saúde cobre gastos médicos, de hospitalização e cirurgia. Os gastos adicionais de terapias, aluguer de equipamentos e cuidado permanente não estão cobertos e, na maioria das vezes, são cobertos com poupanças e contributos de familiares e amigos. Em muitos casos, há que vender activos para obter o dinheiro necessário.

Dentro da oferta de apólices existentes, há uma que garante recursos financeiros para face aos gastos que ocasionaria a incapacitação do titular. Bem seja para a terapia para recuperar a mobilidade de uma perna com múltiplas fracturas ou acompanhamento permanente por causa de uma condição que o impede todo tipo de mobilidade. Este tipo de apólices pode ser adquirida em qualquer momento. O mais indicado é agora, quando se goza de boa saúde.

Uma apólice de incapacidade funciona como um lucro cessante ao proporcionar uma quantidade de rendimentos contratados enquanto o assegurado está impedido para desempenhar a sua actividade profissional. Este dinheiro permite garantir que o titular receba atenção profissional de boa qualidade, adequada às suas circunstâncias e no sítio indicado e no momento oportuno sem que por isso seja afectado o património familiar.

O pai de Marisol comenta que em várias oportunidades sugeriu ao seu compadre que adquirisse uma apólice de incapacidade e que ele sempre respondia que tinha saúde e tinha dinheiro suficiente para cobrir os seus gastos. Agora, está numa cadeira de rodas, necessita de cuidados profissionais e de equipamentos especializados e o dinheiro escasseia. Diz o pai: Marisol, a tua mãe e eu estamos assegurados porque não temos dinheiro suficiente para suportar grandes gastos. Tu deverias fazer o mesmo.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here