Venexos enviou medicamentos para as Damas Portuguesas

ONG continua a apoiar venezuelanos em necessidade

0
39

A Sociedade de Beneficência de Damas Portuguesas recebeu recentemente uma doação de medicamentos enviada pela associação sem fins lucrativos Venexos.A informação foi divulgada por ambas as instituições nos seus espaços de redes sociais, onde foram publicadas algumas imagens dos medicamentos que serão entregues aos mais necessitados da comunidade portuguesa na Região da Capital venezuelana.

«Temos o prazer de receber mais uma vez o generoso apoio de duas caixas de medicamentos enviadas por esta prestigiosa organização para entregar aos nossos beneficiários. Cada dia recebemos mais e mais pedidos de ajuda com medicamentos. A vossa colaboração é de grande valor não só financeiro mas também espiritual, pois conforta-nos poder apoiar tantas pessoas necessitadas e enche-nos de encorajamento para continuar as nossas atividades, tal como nos enche de alegria e paz de espírito para podermos ajudar os mais necessitados no seu tratamento médico» agradeceu a Sociedade de Damas Portuguesas numa carta enviada à ONG, assinada pela sua presidente Maria de Fátima Coelho de Ponte Pita e pela secretária Alicia Fátima Vieira Passos.

Pela sua parte, Venexos publicou a imagem da carta e expressou a sua satisfação pela boa receção dos medicamentos. «É com grande alegria que recebemos esta carta de agradecimento da Sociedade de Beneficência de Damas Portuguesas pela ajuda humanitária que prestamos. Venexos está sempre empenhada em ajudar aqueles que mais precisam. A comunidade portuguesa na Venezuela pode contar connosco. A todos aqueles que tornaram isto possível, obrigado» assegurou a associação presidida por Christian Höhn.

A associação Venexos é uma instituição de direito privado sem fins lucrativos que nasceu em Lisboa em 2014, a partir da vontade comum de um grupo de venezuelanos e luso-venezuelanos, perfeitamente integrados na sociedade portuguesa (nas mais diversas áreas do conhecimento, desde a medicina, design, novas tecnologias de informação e comunicação, restauração, hotelaria, entre outras), e que nunca perderam a ligação com a sua pátria.

O projeto surgiu com o objetivo de apoiar, ajudar, aconselhar e assistir os venezuelanos que vivem em Portugal, principalmente nos domínios social, jurídico, cultural e humanitário, baseando a sua atividade em três pilares fundamentais: a luta pelos direitos humanos, a defesa da liberdade de expressão e o apoio aos imigrantes venezuelanos no seu processo de integração em Portugal. Representa atualmente uma comunidade de 10.000 luso-venezuelanos em Portugal e tem alianças com outras ONG europeias, fazendo parte do programa de ajuda humanitária reconhecido pela US Aid, sediada nos Estados Unidos.

Artículo anteriorMáscaras deixam de ser obrigatórias na rua no continente
Artículo siguiente“Estamos há mais de seis meses sem receber medicamentos”
Editor - Jefe de Redacción / Periodista sferreira@correiodevenezuela.com Egresado de la Universidad Católica Andrés Bello como Licenciado en Comunicación Social, mención periodismo, con mención honorífica Cum Laude. Inició su formación profesional como redactor de las publicaciones digitales “Factum” y “Business & Management”, además de ser colaborador para la revista “Bowling al día” y el diario El Nacional. Forma parte del equipo del CORREIO da Venezuela desde el año 2009, desempeñándose como periodista, editor, jefe de redacción y coordinador general. El trabajo en nuestro medio lo ha alternado con cursos en Community Management, lo que le ha permitido llevar las cuentas de diferentes empresas. En el año 2012 debutó como diseñador de joyas con su marca Pistacho's Accesorios y un año más tarde creó la Fundación Manos de Esperanza, en pro de la lucha contra el cáncer infantil en Venezuela. En 2013 fungió como director de Comunicaciones del Premio Torbellino Flamenco. Actualmente, además de ser el Editor de nuestro medio y corresponsal del Diário de Notícias da Madeira, también funge como el encargado de las Comunicaciones Culturales de la Asociación Civil Centro Portugués.

Dejar respuesta

Please enter your comment!
Please enter your name here